Tércio Borges  

Um dos precursores do movimento musical da Lapa (Rio de Janeiro) Tercio Borges é considerado o Embaixador do samba e do choro em Portugal. Aprendeu o ofício nas rodas e nos palcos, com praticamente toda a velha guarda. De Dona Ivone Lara a Velha Guarda da Mangueira, de Nelson Cavaquinho a Beth Carvalho, de João Nogueira a Zé Keti, de Moreira da Silva a Walter Alfaiate, de Wilson Moreira a Nei Lopes, de Jair Rodrigues a Alcione.

Tercio é contemporâneo de grandes talentos da música brasileira e começou a tocar com nomes como Eduardo Neves, Luis Louchard, Rodrigo Lessa, Marco de Pinna, Dirceu Leite, Maurício Verde, Márcio Hulk, Jorge Simas, Carlinhos e Paulão 7 cordas, Marcos Suzano, Eduardo Gallotti,… Assim, nesse ambiente cresceu e muito cedo já estava a atuar com grandes nomes do choro e do samba.

Possui em sua discografia diversos originais e atuações como instrumentista com nomes como Martinho da Vila, Lenine, Nelson Sargento, Vitorino, Seu Jorge, Marcelo D2, Tito Paris, JP Simões, Teresa Salgueiro, entre outros.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foi disco de ouro com mais de 200.000 cópias vendidas no CD "Butiquim do Martinho" e concorreu ao Gramy Latino com o CD Velha Guarda da Mangueira e convidados.

Compôs músicas e trilhas sonoras para diversas novelas, minisséries e programas da Rede Globo, entre elas; Fantástico, Dona Flor e seus dois maridos, Malhação, Chiquinha Gonzaga, Senhora do destino, Quatro por Quatro, Pecado Capital, Fera Ferida, Cara e Coroa, De Corpo e Alma, A Indomada, Explode Coração, História de Amor e para várias aberturas e vinhetas da emissora. Compôs ainda trilhas originais para cinema, teatro, além de incontáveis Jingles para os mais diversos clientes Brasil afora.

Vivendo na Europa desde 2001, Tercio é o fundador do Clube do choro de Lisboa e atualmente gere o Bartô, uma casa onde se apresentam artistas de Portugal, do Brasil e do mundo e também atua com Tercio Borges & Democratas do Samba e Os Imbirrantes Samba & Choro.